A legitimação da injustiça social e ambiental: análise da legislação no campo da construção de hidrelétricas no Brasil / The legitimation of social and environmental injustice: analysis of legislation on the construction of hydroelectric power plants in Brazil

Carmem Regina Giongo, Jussara Maria Rosa Mendes

Resumo


Este artigo pretende apresentar, a partir da análise da legislação vigente no campo da construção de hidrelétricas no Brasil, os diferentes ângulos da banalização do sofrimento das populações atingidas por estas obras. A pesquisa qualitativa teve um delineamento exploratório-descritivo e se apoiou na técnica da análise documental. O estudo dos materiais foi orientado pelas seguintes questões: a) como o documento aborda o sofrimento das populações atingidas pela construção de hidrelétricas?; b) quais são os elementos do documento que contribuem para a invisibilidade da injustiça e do sofrimento das populações atingidas pela construção de hidrelétricas? Destaca-se a invisibilidade das populações atingidas pelos grandes empreendimentos no contexto da legislação vigente, excluindo aspectos que vão do sofrimento até questões atreladas a saúde, trabalho, relações sociais e culturais. Em contrapartida, privilegiam-se normativas que garantem a comercialização dos recursos naturais e o direito dos consumidores.


Palavras-chave


Legislação. Hidrelétricas. Barragens. Injustiça.

Texto completo:

PDF

Referências


ACSELRAD, H. Ambientalização das lutas sociais: o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos Avançados, São Paulo, n. 24, v. 68, p. 103-119, 2010. Disponível em: . Acesso em: 11 jun. 2014.

ARAÚJO, S.M.V.G. Licenciamento ambiental e legislação. Brasília, DF: Câmara dos Deputados, 2002. Disponível em: . Acesso em: 17 dez. 2016.

BANCO MUNDIAL. Licenciamento ambiental de empreendimentos hidrelétricos no Brasil: uma contribuição para o debate. [S.l.]: Banco Mundial, 2008. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2015.

BARBOSA, E.M.; BARATA, M.M.L.; HACON, S.S. A saúde no licenciamento ambiental: uma proposta metodológica para a avaliação dos impactos da indústria de petróleo e gás. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 2, p. 299-310, 2012. Disponível em: . Acesso em: 17 dez. 2016.

BERMANN, C. Crise ambiental e as energias renováveis. Ciência e Cultura, Campinas, v. 60, n. 3, p. 20-29, 2008. Disponível em: . Acesso em: 15 out. 2016.

BRASIL. Decreto-lei nº 3.365, de 21 de junho de 1941. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 1941. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2015.

______. Ministério do Meio Ambiente. Resolução CONAMA nº 001, de 23 de janeiro de 1986. Coleção de Leis da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1986. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2015.

______. Constituição (1988). Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 1988. Disponível em: . Acesso em: 17 ago. 2015.

______. Lei nº 8.987, de 13 de fevereiro de 1995. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 1995a. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

______. Lei nº 9.074, de 7 de julho de 1995. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 1995b. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

______. Lei nº 9.427, de 26 de dezembro de 1996. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 1996. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2016.

______. Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 1997a. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2016.

______. Lei nº 9.478, de 6 de agosto de 1997. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 1997b. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2016.

______. Lei nº 9.648, de 27 de maio de 1998. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 1998. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2015.

______. Lei nº 10.848, de 15 de março de 2004. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 2004. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2015.

______. Decreto nº 7.342, de 26 de outubro de 2010. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 2010. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2015.

______. Lei nº 12.783, de 11 de janeiro de 2013. Lex: legislação federal e marginália, Brasília, DF, 2013. Disponível em: . Acesso em: 16 ago. 2015.

______. Projeto de Lei nº 1, de 2014. Diário do Senado Federal, Brasília, DF, 2014. Disponível em: . Acesso em: 17 out. 2014.

______. Projeto de Lei nº 4.429/2016. Diário do Congresso Nacional, Brasília, DF, 2016a. Disponível em:. Acesso em: 18 out. 2016.

______. Proposta de emenda à constituição n. 65, de 2012 - Agenda Brasil 2015. Diário do Senado Federal, Brasília, DF, 2016b. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2016.

______. Ministério do Meio Ambiente. Programa nacional de capacitação de gestores ambientais: licenciamento ambiental. Brasília, DF: MMA, 2009.

______. Ministério Público Federal. Deficiências em estudos de impacto ambiental: síntese de uma experiência. Brasília, DF: MPF/4ª Câmara de Coordenação e Revisão, 2004. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2016.

BRITO, D. M. C. et al. Conflitos socioambientais no século XXI. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP, Macapá, v. 4, n. 4, p. 51-58, 2011. Disponível em: . Acesso em: 15 set. 2016.

CAMPONOGARA, S. et al. Visão de profissionais e estudantes da área de saúde sobre a interface saúde e meio ambiente. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 93-111, 2013. Disponível em: . Acesso em: 18 set. 2016.

Cellard, A. A análise documental. In: POUPART, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2008, p. 295-316.

ESTADÃO CONTEÚDO. EPE defende voltar a construir hidrelétricas "sem mimimi". Exame, São Paulo, 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2017.

FIGUEIRÓ, F.; WOLKMER, M. F. A interface da água enquanto recurso ambiental e econômico e a sua interconexão com a tutela do meio ambiente. Revista Jurídica, Blumenau, v. 17, n. 34, p. 37-56, 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2016.

G1. Governo lança programa de R$ 186 bi para investimento em energia elétrica. G1, Brasília, DF, 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 ago. 2015.

Gil, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

GREENPEACE. Um estudo que não mede impacto. [S.l.]: Greenpeace, 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2016.

Helder, R. R. Como fazer análise documental. Porto, Portugal: Universidade de Algarve, 2006.

PMCid:PMC2361338

HERNANDEZ, F. D. M. Hidrelétricas na Amazônia: renovabilidade e não renovabilidade da política energética. Se é desejável a renovabilidade das formas de conversão de energia, por que não é desejável renovar a política energética? Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, Santa Catarina, v. 7, n. 3, p. 791-811, 2012. Disponível em: . Acesso em: 11 set. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Licenciamento ambiental. Resoluções. [S.l.]: IBAMA, 2015a. Disponível em: . Acesso em: 21 jan. 2015.

______. Processo de licenciamento. [S.l.]: IBAMA, 2015b. Disponível em: . Acesso em: 13 ago. 2015.

KARPINSKI, C. Hidrelétricas e legislação ambiental brasileira nas décadas de 1980-90. Revista Percursos, Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 71-84, 2008. Disponível em: . Acesso em: 12 dez. 2016.

KLIASS, P. Economia verde e mercantilização do Meio Ambiente. [S.l.]: Carta Maior, 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2016.

MARTINS, T.P.; SAMPAIO JUNIOR, R.B. A desapropriação à luz da função social da posse: reflexões críticas acerca dos direitos do possuidor face à garantia constitucional de indenização prévia e justa. In: CALDAS, R. C. S.; STELZER, J.; BIRNFELD, L. F. H. Direito e administração pública I. Florianópolis: CONPEDI, 2012. Disponível em: . Acesso em: 18 dez. 2016.

May, T. Pesquisa social: questões, métodos e processo. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Minayo, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 11. ed. São Paulo: HUCITEC, 2008.

MOVIMENTO DOS ATINGIDOS POR BARRAGENS. Documentário sobre Jirau e Santo Antônio é lançado em Porto Velho. São Paulo: MAB, 2016. Disponível em: . Acesso em: 18 out. 2016.

OBSERVATÓRIO DO SETOR ELÉTRICO NO BRASIL. O homem e a usina. Brasília, DF: Instituto Ascende Brasil, 2010. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2015.

______. Licenciamento ambiental: a busca da eficiência. Brasília/DF: Instituto Ascende Brasil, 2011. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2015.

______. Brazil energy frontiers 2013. Brasília, DF: Instituto Ascende Brasil, 2013. Disponível em: . Acesso em: 19 ago. 2015.

OLIVEIRA, N. Fernando Coelho defende mais estratégia e menos intervenção no setor elétrico. EBC Agência Brasil, Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: . Acesso em: 06 dez. 2016.

Ortiz, L. S. Energias renováveis sustentáveis: uso e gestão participativa no meio rural. Porto Alegre: Núcleo Amigos da Terra, 2005.

PIAGENTINI, P.M.; BENASSI, R.F.; PENTEADO, C.L.C. Olhares sobre a hidroeletricidade e o processo de licenciamento no Brasil. Estudos Avançados, São Paulo, v. 28, n. 82, p. 139-153, 2014. Disponível em: . Acesso em: 12 jan. 2015.

Scalabrin, L. Direitos humanos e barragens. In: ENCONTRO INTERNACIONAL CIÊNCIAS SOCIAIS E BARRAGENS, IV, 2016, Chapecó, SC. Anais... Chapecó, SC: UFFS, 2016.

SILVA, A. A mercantilização dos bens naturais no setor Elétrico: o caso da UHE barra grande. 2013. 138 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Estadual Paulista, Presidente Prudente, SP, 2013. Disponível em: . Acesso em: 06 dez. 2016.

SILVEIRA, M.; ARAÚJO NETO, M. D. Licenciamento ambiental de grandes empreendimentos: conexão possível entre saúde e meio ambiente. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 9, p. 3829-3838, 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ csc/v19n9/1413-8123-csc-19-09-3829.pdf. Acesso em: 15 set. 2016.

VAINER, C. B. Recursos Hidráulicos: questões sociais e ambientais. Estudos Avançados, São Paulo, v. 21, n. 59, p. 119-137, 2007. Disponível em: . Acesso em: 09 jun. 2014.

______. Direitos humanos e barragens. In: ENCONTRO INTERNACIONAL CIÊNCIAS SOCIAIS E BARRAGENS, IV, 2016, Chapecó, SC, Anais... Chapecó, SC: UFFS, 2016.

Zhouri, A.; Laschefski, K.; Pereira, D.B. Desenvolvimento, sustentabilidade e conflitos socioambientais. In: ZHOURI, A.; LASCHEFSKI, K.; PEREIRA, D. B. A insustentável leveza da política ambiental: desenvolvimento e conflitos socioambientais. Belo Horizonte: Autêntica, 2005. p. 11-24.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2018.2.29018


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS