Culture and Diversity in the Teaching of Portuguese as Additional Language

Daniela Doneda Mittelstadt, Juliana Roquele Schoffen, Margarete Schlatter

Abstract


---

References


Alexis, K. N. (2008). Os bastidores do processo de ensino de português em contextos multilingües: O caso de Côte D’Ivoire (Dissertação de mestrado). Brasília: UnB.

Bakhtin, M. (2003). Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.

Balestro, A. C. (2010). Quando a regra é manifestar-se: A trajetória de alunos chineses na contação de histórias (Trabalho de Conclusão de Curso). Porto Alegre: UFRGS.

Baptista, L., Costa, J., Madeira, A., Resende, J., & Pereira, A. P. (2007). Políticas e práticas de internacionalização do ensino da língua portuguesa: Os leitorados de português. Lisboa: Nova FCSH.

Brasil (2013). Guia do participante Celpe-Bras: Tarefas comentadas que compõem a edição de abril de 2013. Brasília: INEP.

Clark, H. H. (2000). O uso da linguagem. Cadernos de Tradução, (9), 49-74.

Coitinho, V. P. (2007). A prática docente do professor de português para estrangeiros para 274 uma aprendizagem crítica: A formação do professor de português para estrangeiros (Dissertação de mestrado). Curitiba: PUC-PR.

https://doi.org/10.4013/cld.2019.171.05

Costa, E. V. (2013). Práticas de formação de professores de português língua adicional em um Instituto Cultural Brasileiro no exterior (Dissertação de mestrado). Porto Alegre: UFRGS.

https://doi.org/10.15448/2178-3640.2018.1.31107

Costa, E. V. (2018). Eventos de formação de professores de Português como Língua Adicional: A organização das práticas e as trajetórias de participação em um estudo interpretativo sobre aprender a ensinar (Tese de doutorado). Porto Alegre: UFRGS.

https://doi.org/10.11606/d.48.2013.tde-23102013-112126

Dilli, C. (2013). Subsídios para o desenvolvimento de ações de letramento na política de permanência de indígenas na universidade (Dissertação de mestrado). Porto Alegre: UFRGS.

Faneca, R. M. (2013). Aprendizagem e representações do português língua de herança por lusodescendentes em França em contextos não formais. Indagatio Didactica, 5(3), 29-49.

Ferreira, L. C., Perna, C. B. L., Gualda, R., & Leurquin, E. V. F. (Orgs.) (2019). Língua de acolhimento: Experiências no Brasil e no mundo. Belo Horizonte: Mosaico Produção Editorial.

Furtoso, V. B. (2001). Português para falantes de outras línguas: Aspectos da formação do professor (Dissertação de mestrado). Londrina: UEL.

https://doi.org/10.5433/2237-4876.2000v3n1p95

Furtoso, V. B. (2009). Formação de professores de português para falantes de outras línguas: Reflexões e contribuições. Londrina: EDUEL.

https://doi.org/10.5935/1981-4755.20170006

Garcez, P. M. & Schlatter, M. (2017). Professores-autores-formadores: Princípios e experiências para a formação de profissionais de educação linguística. In E. Mateus & J. R. A. Tonelli (Org.), Diálogos (im)pertinentes entre formação de professores e aprendizagem de línguas (pp. 13-36). São Paulo: Blucher.

https://doi.org/10.5151/9788580392708-01

Gonçalves, L. (Org.) (2016). Português como língua estrangeira, de herança e materna: Abordagens, contextos e práticas. Roosevelt: Boavista Press.

Herrmann, I. I. D. G. (2012). A fluidez do lugar do professor de Português Língua Estrangeira: Uma análise discursiva de dizeres de professores brasileiros em sua relação com o ensino de PLE (Dissertação de mestrado). São Paulo: USP.

https://doi.org/10.11606/d.8.2012.tde-14012013-121942

Janssen, M., Kuhn, T. Z., Ferreira, J. P., & Correia, M. (2018). The CPLP Corpus: A pluricentric corpus for the common Portuguese spelling dictionary (VOC). Proceedings of the 28º EURALEX International Congress. Ljubljana, Slovenia: EURALEX.

Jennings-Winterle, F. & Lima-Hernandes, M. C. (Org.) (2015). Português como língua de herança: A filosofia do começo, meio e fim. New York: Brasil em Mente.

Kraemer, F. F. (2008). Avaliação de textos escritos em português produzidos por falantes de espanhol (Trabalho de Conclusão de Curso). Porto Alegre: UFRGS.

Melo-Pfeifer, S. (2014). Que política linguística para o ensino do Português junto das Comunidades Lusófonas? Reflexões a partir da Alemanha. In L. Coelho (Org.), Encontros por contar: Alemanha e Portugal (pp. 195-226). Lisboa: Orfeu.

Melo-Pfeifer, S. (2015). The role of the family in heritage language use and learning: Impact on heritage language policies. International Journal of Bilingual Education and Bilingualism, 18(1), 26-44.

https://doi.org/10.1080/13670050.2013.868400

Melo-Pfeifer, S. (2016). Didática do Português língua de herança. Lisboa: Lidel.

Mittelstadt, D. D. (2013). Orientações curriculares e pedagógicas para o nível avançado de português como língua adicional (Dissertação de mestrado). Porto Alegre: UFRGS.

Neves, C. S. (2018). O planejamento de programas de ensino para o desenvolvimento de projetos de aprendizagem em português como língua adicional (Dissertação de mestrado). Porto Alegre: UFRGS.

https://doi.org/10.17771/pucrio.ple.33611

Lemos, F. C. (2014). A formação do professor para o ensino de língua adicional em ambientes digitais com docência compartilhada (Dissertação de mestrado). Porto Alegre: UFRGS.

Morelo, B. (2014). Leitura e escrita na universidade para estudantes indígenas: Princípios e práticas pedagógicas para uma ação de permanência no campo das linguagens (Dissertação de mestrado). Porto Alegre: UFRGS.

Morelo, B., Costa, E. V., & Kraemer, F. F. (Orgs.) (2018). Ensino e aprendizagem de língua portuguesa e cultura brasileira pelo mundo: Experiências do Programa de Leitorado do Brasil. Roosevelt: Boavista Press.

Pinto, A. D. (2007). A institucionalização do português língua não materna em Portugal. Revista [email protected] Online, (21).

Pinto, P. F. & Melo-Pfeifer, S. (Eds.) (2018). Políticas Linguísticas em Português. Lisboa: LIDEL.

Ramos, I. F. (2007). Culturas de ensino e aprendizagem de alunos e professores de Português como língua estrangeira (Trabalho de Conclusão de Curso). Porto Alegre: UFRGS.

https://doi.org/10.17771/pucrio.ple.33611

Rodrigues, M. S. A. (2006). O exame Celpe-Bras: Reflexões teóricas para o professor de português para falantes de outras línguas (Dissertação de mestrado). Campinas: UNICAMP.

https://doi.org/10.17771/pucrio.pdpe.34098

Scaramucci, M. V. (2011). Validade e consequências sociais das avaliações em contextos de ensino de línguas. Linguarum Arena, 2, 121-137.

https://doi.org/10.1590/s1984-63982003000100010

Scaramucci, M. V. (2012). O exame Celpe-Bras e a proficiência do professor de português para falantes de outras línguas. Digilenguas, 12, 48-67.

Scaramucci, M. V. R. & Bizon, A. C. C. (no prelo). Formação inicial e continuada de professores de português língua estrangeira no Brasil. Campinas: Pontes Editores.

Schlatter, M., Scaramucci, M. V. R., Prati, S., & Acuña, L. (2009). Celpe-Bras e CELU: Impactos da construção de parâmetros comuns de avaliação de proficiência em português e em espanhol. In M. Fontana (Org.), O português do Brasil como língua transnacional. Campinas: Editora RG.

https://doi.org/10.1590/s1984-63982003000100010

Schoffen, J. R. (2009). Gêneros do discurso e parâmetros de avaliação de proficiência em português como língua estrangeira no exame Celpe-Bras (Tese de doutorado). Porto Alegre: UFRGS.

https://doi.org/10.1590/s1984-63982003000100010

Schoffen, J. R. (2012). Níveis de proficiência oral de examinandos falantes de espanhol no exame Celpe-Bras. In J. R. Schoffen, S. P. Kunrath, G. H. Andrighetti, & L. G. Santos. Português como Língua Adicional: Reflexões para a prática docente. Porto Alegre: Bem Brasil.

https://doi.org/10.17771/pucrio.pdpe.34098

Schoffen, J. R. & Martins, A. F. (2016). Políticas linguísticas e definição de parâmetros para o ensino de português como língua adicional: Perspectivas portuguesa e brasileira. ReVEL, 14(26), 271-306.

Schoffen, J. R. & Mendel, K. (2018). As especificações do exame Celpe-Bras e a descrição das tarefas da parte escrita: Convergências e divergências. Domínios de [email protected], 12(2), 1091-1122.

https://doi.org/10.14393/dl34-v12n2a2018-15

Schoffen, J. R., Schlatter, M., Kunrath, S. P., Nagasawa, E. Y., Sirianni, G. R., Mendel, K., ..., & Divino, L. S. (2018). Estudo descritivo das tarefas da parte escrita do exame Celpe-Bras: Edições de 1998 a 2017. Porto Alegre: Instituto de Letras UFRGS.

https://doi.org/10.14393/dl34-v12n2a2018-15

Silva, D. B. (2010). O passado no presente: História da promoção e difusão da língua Portuguesa no exterior. Cadernos do CNLF, 14(4), 3018-3034.

Souza, A. & Lira, C. (Orgs.) (2017). O POLH na Europa: Português como língua de herança (pp. 149-181). Londres: JNPBooks.

Stanzani, L. A. (2019). Procesos de construcción y apropiación de la formación de los profesores de Portugués como Lengua Adicional en Colombia: Trayectorias, experiencias y desafios (Tesis de Doctorado). Bogotá: Universidad de los Andes.

https://doi.org/10.14482/memor.37.986.101

Wiedemann, L. & Scaramucci, M. (2009). Português para falantes de Espanhol: Ensino e aquisição. Campinas: Pontes Editores.

https://doi.org/10.1111/j.1540-4781.2009.01009.x

Ye, L. (2009). A preparação de candidatos chineses para o exame Celpe-Bras: Aprendendo o que significa (Dissertação de mestrado). Porto Alegre: UFRGS.

Zhang, F. (2017). Avaliação de desempenho e reescrita como oportunidades de aprendizagem da escrita em Português por alunos chineses (Tese de doutorado). Porto Alegre: UFRGS.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/2178-3640.2019.1.34390

License URL: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR

e-ISSN: 2178-3640

Except where otherwise specified, material published in this journal is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International license, which allows unrestricted use, distribution and reproduction in any medium, provided the original publication is correctly cited.