A construção do direito à saúde e do SUS no cenário neoliberal e a contribuição do Serviço Social

Gabriela Cristina Braga Bisco, Fernanda de Oliveira Sarreta

Resumo


O presente artigo apresenta os resultados parciais obtidos a partir de pesquisa bibliográfica, realizada no mestrado em Serviço Social da Universidade Estadual Paulista, com apoio da Capes. O objetivo geral do estudo é analisar a política de saúde e a contribuição do trabalho da/o assistente social para a efetivação do direito à saúde no cenário contemporâneo. Como resultado, constata-se que o direito à saúde e o Sistema Único de Saúde (SUS) são conquistas da classe trabalhadora por melhores condições de vida e atendimento às suas necessidades; e, o Serviço Social, é uma profissão que contribui de maneira efetiva para o acesso da população às ações e aos serviços de saúde. No entanto, com o avanço do neoliberalismo, do ataque e do retrocesso nos direitos sociais, o trabalho da/o assistente no SUS é tensionado com os desafios expressivos, as demandas complexas e o aprofundamento das expressões da questão social na saúde. É um cenário que exige uma atuação crítica e propositiva, na direção do projeto ético-político profissional e da reforma sanitária para a construção de estratégias e respostas coletivas na defesa da universalidade desse direito.


Palavras-chave


Política de saúde. Serviço Social. Direito à saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


SANJUÁN, C. R. Prólogo. La nueva lectura de Marx. In: HEINRICH, Michael. Crítica de la economía política: Una introducción a El Capital de Marx. Madrid: Escolar y Mayo Editores, 2008. https://doi.org/10.5377/realidad.v0i121.3331

ABRAMIDES, M. B. C. Lutas sociais e desafios da classe trabalhadora: reafirmar o projeto profissional do serviço social brasileiro. Serviço Social e Sociedade. São Paulo, n. 129. 2017. https://doi.org/10.1590/0101-6628.113

ARISTÓTELES. Ética a Nômaco. São Paulo: Abril Cultural, 1985.

BEHRING, E. R. Política de saúde no Brasil. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2006.

BEHRING, E. R; BOSCHETTI, Ivanete. Política Social: fundamentos e história. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

BISCO. G. C. B. Serviço social na saúde: limites e desafios para efetivação de direitos dos usuários na Santa Casa de Franca/SP. Franca. São Paulo. 2015. https://doi.org/10.20396/sss.v6i1.8634947

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Promulgada em 5 de outubro de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/ bitstream/handle/id/ 518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acesso em: 06 fev. 2019. https://doi.org/10.11606/d.2.2010.tde-13122010-160747

BRASIL. Ministério da Saúde. Relatório Final da 8ª Conferência Nacional de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 1986.

https://doi.org/10.1590/s0103-11042012000400007

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei orgânica da saúde de nº 8.080 de 19 de setembro de 1990. Brasília: Ministério da

Saúde, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm. Acesso em: 23 out. 2018. https://doi.org/10.11606/d.22.2007.tde-13112007-162850

BRASIL. Ministério da Saúde. Lei orgânica da Seguridade Social de nº 8.212 de 24 de julho de 1991. Brasília: Ministério da Saúde, 1991. https://doi.org/10.5327/z1679443520190289

BRAVO, M. I. S. Política de saúde no Brasil: Serviço social e saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2006.

BRAVO, M. I. S.; MATOS, M. C. de. Projeto ético-político do serviço social e sua relação com a reforma sanitária: elementos para o debate. Serviço social e saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2006. https://doi.org/10.1590/s0101-66282011000400013

CAMPOS, G. W. S. A defesa do SUS depende do avanço da reforma sanitária. Interface – comunicação, saúde, educação, v. 22, n. 65, 2018. https://doi.org/10.1590/1807-57622017.0772

CFESS. Parâmetros para atuação de assistentes sociais na política de saúde. Série: Série Trabalho e Projeto Profissional nas Políticas Sociais. Brasília: CFESS, 2010. https://doi.org/10.22422/temporalis.2018v18n35p265-288

CFESS. Carta de Maceió, Seguridade Social pública: é possível!. In: ENCONTRO NACIONAL CFESS/CRESS, 26., Maceió, 2000.

Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/encontronacional_cartas_maceio.pdf. Acesso em: 26 nov. 2018. https://doi.org/10.17012/entac2014.599

COSTA, N. R. O Banco Mundial e a Política Social nos Anos 90: Agenda para reforma do setor saúde no Brasil. Política de saúde e inovação institucional: uma agenda para os anos 90. Rio de Janeiro: ENSP, 1997. https://doi.org/10.1590/s0011-52581996000300007

FILHO. N. de A. O QUE É SAÚDE? Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2011.

FILHO, G. C. A “Questão Social” no Brasil: crítica do discurso político. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1982.

FINKELMAN, J. (org.). Caminhos da saúde pública no Brasil. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2002.

IAMAMOTO, M. V. O serviço social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

IAMAMOTO, M. V.; CARVALHO, R. Relações sociais e serviço social no brasil: esboço de uma interpretação históricometodológica. 7. ed. São Paulo: Cortez; Lima, Peru: Celats, 1982.

MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar, 1967.

MÉSZÁROS, I. A crise estrutural do capital. Outubro Revista, n. 2, 2000.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 28. ed. Petrópolis: Vozes, 2009.

MOTA, A. E. Seguridade social brasileira: desenvolvimento histórico e tendências recentes. Serviço social e saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2006.

NOGUEIRA, V. M. R.; MIOTO, R. C. T. Desafios Atuais do Sistema Único de Saúde – SUS e as Exigências para os Assistentes Sociais. In: MOTA, A. E et al. (org.). Serviço Social & Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2006. https://doi.org/10.1590/s0034-89102006000100006

PAULO NETTO, J. Introdução ao estudo do método em Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

RAICHELIS, R. Democratizar a Gestão das Políticas Sociais: um desafio a ser enfrentado pela sociedade civil. Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2006.

RAVAGNANI, C. L. C. A frente nacional contra a privatização da saúde: direito garantido, não se compra, não se vende. 2013. 247 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Estadual Paulista - Júlio de Mesquita Filho‖, Franca, 2013. https://doi.org/10.17533/udea.rccp.v28n4a08

OMS. Organização Mundial da Saúde. Constituição da Organização Mundial de Saúde. Brasília: OMS, Brasil, 1946. https://doi.org/10.7476/9788575413982

SARRETA, F. O. Educação permanente em saúde para os trabalhadores do SUS, v. 1. São Paulo: Cultura Acadêmica da Fundação UNESP, 2010. https://doi.org/10.7476/9788579830099

SIMÕES, C. Curso de direito do serviço social. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008. (Biblioteca Básica de Serviço Social, v. 3).

SOARES, L. T. Os custos sociais do ajuste neoliberal na América Latina. São Paulo: Cortez, 2000. (Coleção Questões da Nossa Época, v. 78).




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2019.1.31738


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2020 EDIPUCRS