Os Desafios de Conciliar Trabalho, Família e Cuidados: evidências do “familismo” nas políticas sociais brasileiras / The Challenges of Conciliating Work, Family and Care: evidence of “familyism” in brazilian social policies

Liliane Moser, Keli Regina Dal Prá

Resumo


O artigo problematiza as noções de cuidado e de articulação e conciliação entre família e trabalho, com destaque para as políticas de apoio aos trabalhadores e às trabalhadoras com responsabilidades familiares, buscando evidenciar a importância dessa discussão na realidade brasileira. Considera as mudanças ocorridas nas famílias, no mundo do trabalho e suas implicações nas responsabilidades familiares, e aborda as noções de cuidado e de conciliação entre família e trabalho a partir de diferentes perspectivas de análise. A despeito da previsão no sistema legal brasileiro de algumas medidas voltadas à conciliação, destaca-se o alcance limitado e a baixa provisão de serviços de apoio às famílias com responsabilidades familiares.

Palavras-chave


Trabalho e Responsabilidades Familiares; Família; Cuidado; Políticas de Conciliação.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Abrão, K. C. L. Políticas de conciliação entre trabalho e responsabilidade familiar no Brasil. Programa de Pós-Graduação em Serviço Social, UFSC (Qualificação de tese), 2014. Mimeo.

Barcelos, M. S. A incorporação da família nos serviços de saúde: um debate a partir das concepções dos profissionais num hospital de alta complexidade. Dissertação (Mestrado em Serviço Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

Berenstein, C. K; Wajnman, S. Efeitos da estrutura etária nos gastos com internação no Sistema Único de Saúde: uma análise de decomposição para duas áreas metropolitanas brasileiras. Cadernos de Saúde Pública. Rio de Janeiro, v. 24, n. 10, p.2301-2313, 2008.

Bruschini, C. Trabalho doméstico: inatividade econômica ou trabalho não-remunerado? Revista Brasileira de Estudos de População. São Paulo, v. 23, n.1, p.331-353, 2006.

Bruschini, M. C. A. Trabalho e gênero no Brasil nos últimos dez anos. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, v. 37, n. 132, p.537-572, 2007.

______; Ricoldi, A. M. Articulação trabalho e família: famílias urbanas de baixa renda e políticas de apoio às trabalhadoras. Rio de Janeiro: Fundação Carlos Chagas, Departamento de Pesquisas Educacionais, 2008.

Born, T. Cuidar melhor e evitar a violência. Manual do Cuidador da Pessoa Idosa. Brasília, 2008, p.20-27.

Camarano, A. A. Quanto custa cuidar da população idosa dependente e quem paga por isto? In: ______. (Org.). Novo regime demográfico: uma nova relação entre população e desenvolvimento? Rio de Janeiro: IPEA, 2014, p. 606-623.

______; Kanso, S. Como as famílias brasileiras estão lidando com idosos que demandam cuidados e quais as perspectivas futuras? A visão mostrada pelas PNADS. In: CAMARANO, A. A. (Org.). Cuidados de longa duração para a população idosa: um novo risco social a ser assumido? Rio de Janeiro: IPEA, 2010, p.93-122.

CORDEIRO, M. C. Mulher, mãe e trabalhadora: breve balanço de recentes políticas de conciliação entre trabalho e vida familiar no Brasil. Revista Ser Social. Brasília, v.10, n. 23, 2008, p.71-99.

GAMA, A. S. Trabalho e responsabilidades familiares no Brasil: reflexões sobre os direitos do trabalho. Em Pauta, Rio de Janeiro, n.30, v.10, p.149-168, 2012a.

https://doi.org/10.12957/rep.2012.5110

______. Entre o trabalho e a família: contradições das respostas públicas às reconfigurações da divisão sexual do trabalho. In: DUARTE, M. J. O; ALENCAR, M. M. T. (Orgs.) Família e famílias: práticas sociais e conversações contemporâneas. 2.ed. Rio de Janeiro: Lúmen Juris, 2012b, p.95-113.

Gelinski, C. R. O. G; Pereira, R. S. Mulher e trabalho não remunerado. Mulher e Trabalho, p.79-87, 2005.

Guimarães, N. A; Hirata, H. S; Sugita, K. Cuidado e cuidadoras: o trabalho de care no Brasil, França e Japão. In: HIRATA, H. S; GUIMARÃES, N. A. Cuidados e cuidadoras: as várias faces do care. São Paulo: Atlas, 2012, p.79-102.

Gutierrez, D. M. D; Minayo, M. C. S. Produção de conhecimento sobre cuidados da saúde no âmbito da família. Ciência Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v.15, p.1497-1508, 2010.

ITABORAÍ, N. R. A proteção social da família brasileira contemporânea: reflexões sobre a dimensão simbólica das políticas públicas. Seminário Famílias e Políticas Públicas. Anais. Porto Alegre: ABEP, 2005. Disponível em: http://www.abep.nepo.unicamp.br/docs/anais/outros/FamPolPublicas/NathalieItaborai.pdf. Acesso em: 30 nov. 2013.

LACERDA, M. R; GIACOMOZZI, C. M; OLINISKI, S. R; TRUPPEL, T. C. Atenção à saúde no domicílio: modalidades que fundamentam sua prática. Saúde e Sociedade, São Paulo, v.15, n 2, p 88-95, 2006.

https://doi.org/10.1590/s0104-12902006000200009

LEME, E. O. Portal Home Care. Disponível em: http://www.portalhomecare.com.br. Acesso em: 01 set. 2013.

MENDES, W. Home care: uma modalidade de assistência à saúde. Rio de Janeiro: UERJ, UnATI, 2001.

Mioto, R. C. T; Dalprá, K. R. Serviços sociais e responsabilização da família: contradições da política social brasileira. In: MIOTO, R. C. T; CAMPOS, M. S; CARLOTO, C. M. (Orgs.). Familismo, direitos e cidadania: contradições da política social. São Paulo: Cortez, 2015, p.147-178.

ORGANIZAÇÃO Internacional do Trabalho – OIT. Trabalho e família: rumo a novas formas de conciliação com responsabilidade social. Brasília, 2009.

______. Trabalho e responsabilidades familiares: novos enfoques. Notas da OIT. Trabalho e Família. 1. Brasília, 2010.

Rehem, T. C. M. S. B; Trad, L. A. B. Assistência domiciliar em saúde: subsídios para um projeto de atenção básica brasileira. Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 10, p.231-242, 2005.

Ricoldi, A. M. A noção de articulação entre trabalho e família e políticas de apoio. Nota Técnica. Mercado de Trabalho. Brasília: IPEA, n. 42, p.37-43, 2010.

Serafim, A. P; Ribeiro, A. B. Internação domiciliar no SUS: breve histórico e desafios sobre sua implementação do Distrito Federal. Com. Ciências Saúde, Brasília, v. 22, n. 2, p.163-168, 2011.

Sorj, B. Trabalho e responsabilidades familiares: um estudo sobre o Brasil. Rio de Janeiro: OIT, 2004.

TAVOLARI, C. E. L; FERNANDES, F; MEDINA, P. O desenvolvimento do home health care no Brasil. Revista Administração em Saúde, São Paulo, v. 9, n. 3, 2000.

TORRES, A. C. (Coord.). Homens e mulheres entre família e trabalho. Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego. Lisboa: DEEP. CID, 2008.

Wall, K; Aboim, S; Cunha, V. A vida familiar no masculino: negociando velhas e novas masculinidades. Estudos 6. Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego. Lisboa: Editorial Ministério da Educação, 2010, p.97-128.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1677-9509.2016.2.21923


Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Textos & Contextos (Porto Alegre)
eISSN: 1677-9509
DOI: 10.15448/1677-9509
Avaliação do Qualis CAPES - 2016
Área Capes - Serviço Social
Classificação: A2
E-mail: textos@pucrs.br
 
 
Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras. Disponibilidade para depósito: Azul
 
 
Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS