Metodologia da problematização: uma possibilidade para o desenvolvimento de competências crítico-reflexivas em contextos curriculares tradicionais

Carla Rosane Paz Arruda Teo, Aline Tecchio Borsoi, Fátima Ferretti

Resumo


O objetivo deste artigo é socializar uma situação de ensino-aprendizagem problematizadora na formação superior em saúde. A situação socializada foi desenvolvida com uma turma de 36 estudantes de um Curso de Nutrição em Santa Catarina, de organização pedagógica tradicional. Foi adotada a metodologia da problematização com o arco de Maguerez. Os estudantes, em disciplina de 40 horas/aula, dividiram-se em grupos, escolhendo uma parcela da realidade para realização das atividades, mediadas por tutoria semanal da professora. Pondera-se que os estudantes desenvolveram a capacidade de leitura de mundo, mobilizaram conhecimentos e articularam teoria e prática.
Conclui-se que a metodologia contribuiu para o desenvolvimento de competências crítico-reflexivas, de autonomia e de trabalho em equipe, representando oportunidade de aprendizagem significativa de aplicação viável em contextos curriculares tradicionais.


Palavras-chave


Aprendizagem ativa; Educação superior; Metodologias ativas

Texto completo:

PDF

Referências


ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (org.). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 6. ed. Joinville: UNIVILLE, 2006.

BALLARINA, M. L. G. S. et al. Metodologia da problematização no contexto das disciplinas práticas terapêuticas supervisionadas. Cadernos de Terapia Ocupacional, São Carlos, v. 21, n. 3, p. 609-616, 2013.

https://doi.org/10.4322/cto.2013.063

BERBEL, N. A. N. A metodologia da problematização com o Arco de Maguerez: uma reflexão teórico-epistemológica. Londrina: EDUEL, 2012a. https://doi.org/10.26694/reufpi.v4i3.4173

BERBEL, N. A. N. A metodologia da problematização em três versões no contexto da didática e da formação de professores. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 12, n. 35, p. 101-18, 2012b. https://doi.org/10.7213/dialogo.educ.5904

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 2, n. 2, p. 139-54, 1998. https://doi.org/10.1590/s1414-32831998000100008

BERBEL, N. A. N. As metodologias ativas e a promoção da autonomia de estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, 2011. https://doi.org/10.5433/1679-0383.2011v32n1p25

BERBEL, N. A. N. Metodologia da problematização:fundamentos e aplicações. Londrina: EDUEL, 1999.BERBEL, N. A. N. Metodologia da problematização: uma alternativa metodológica apropriada ao ensino superior. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 16, n. 2, p.9-19, 1995. https://doi.org/10.5433/1679-0383.1995v16n3p09

BORDENAVE, J. D.; PEREIRA, A. M. Estratégias de ensino aprendizagem. 25. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

DEMO, P. Professor do futuro e reconstrução do conhecimento. Petrópolis: Vozes, 2004.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à

prática educativa. 54. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016. https://doi.org/10.9771/2317-1219rf.v13i13.3221

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 63. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2017.

LARROSA, J. Experiência e alteridade em educação. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v. 19, n. 2, p. 4-27, 2011. https://doi.org/10.17058/rea.v19i2.2444

MITRE, S. M. et al. Metodologias ativas de ensinoaprendizagem

na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 13, supl. 2, p. 2133-2144, 2008.https://doi.org/10.1590/s1413- 81232008000900018

UNOCHAPECÓ. Síntese do projeto pedagógico do curso de graduação em Nutrição (bacharelado). Chapecó:UNOCHAPECÓ, 2014. Disponível em:https://www.unochapeco.edu.br/static/data/portal/sites/ppc/57.pdAAcesso em: 18 ago. 2017. https://doi.org/10.23925/18093876.2017v15i1p200-220

REGO, H. M. C.; RODRIGUES, J. R. Metodologia da problematização com o Arco de Maguerez: um método complementar para a educação em odontologia. Brazilian Dental Science, São José dos Campos, v.18,n.1,p. 34-43,2015.

STRECK, D. R. Metodologias participativas de pesquisa e educação popular: reflexões sobre critérios de qualidade. Interface: Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 20,n. 58, p. 537-547, 2016. https://doi.org/10.1590/1807-57622015.0443

VASCONCELLOS, C. S. Avaliação: concepção dialética-libertadora do processo de avaliação escolar. 16. ed. São Paulo: Libertad, 2006.

VIEIRA, M. N. C. M.; PANÚNCIO-PINTO, M. P. A Metodologia da Problematização (MP) como estratégia de integração ensino-serviço em cursos de graduação na área da saúde. Medicina, Ribeirão Preto, v. 48, n. 3, p. 241-248, 2015.

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v48i3p241-248

VILLARDI, M. L.; CYRINO, E. G.; BERBEL, N. A. N. A problematização em educação em saúde: percepções dos professores tutores e alunos. São Paulo: UNESP, 2015. https://doi.org/10.7476/9788579836626




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2019.3.29602

ISSN-L: 0101-465X | e-ISSN: 1981-2582


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.