Conditions for a distance citizen education: an emancipatory proposition

Jaciara de Sá Carvalho

Resumo


This paper synthesizes six conditions for an emancipatory distance education, results from a Ph.D. research. The focus is the “formation for citizenship”, only possible “by the citizenship”, as consciousness process by the individuals, according to the critical perspective adopted. In addition to literature review, interviews were conducted with experts of distance modality from Brazil, Portugal and Venezuela. The work considers that a citizenship education is able to contribute to the emancipation by the individuals in any modality. And discusses data and situations
regarding distance education proposing the following conditions: education by citizenship; collective work; mediated (dialectical mediation) dialogue by the world; participative and flexible design instructional; coherent study materials;
and articulation with network social movements. 


Palavras-chave


Distance education. Citizenship education. Education for citizenship. Emancipation. Paulo Freire.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Angela. Leitura do mundo no contexto da planetarização: por uma pedagogia da sustentabilidade, 2002, 286 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Censo EAD.BR: Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil 2012. Curitiba: Ibpex, 2013.

______. Censo EAD.BR: Relatório analítico da aprendizagem a distância no Brasil 2013. Curitiba: Ibpex, 2014.

AZEVEDO, José C. de. Reconversão cultural da escola: mercoescola e Escola Cidadã. Porto Alegre: Sulina, Universitária Metodista, 2007.

BRASIL. Lei 9394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez., 1996.

______. Ministério da Educação. Referenciais de Qualidade para a Educação Superior a Distância. Brasília: Secretaria de Educação a Distância, ago. 2007. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2013.

BRINGEL, Breno. Edital Faperj, n. 14/2012. Disponível em: . Acesso em: 16 maio 2014.

CARVALHO, Jaciara de Sá. Redes e comunidades: ensinoaprendizagem pela internet. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2011 (versão impressa). Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2012.

CARVALHO, Jaciara de Sá; GRACIANI, Ana L.; OLIVEIRA, Márcia C. de. Educação a Distância como ação de projeto: uma experiência freiriana em Salvador. In: VII Colóquio Internacional Paulo Freire, 2010, Recife. Anais VII Colóquio Internacional Paulo Freire. Recife: UFPE, 2010.

Disponível em: . Acesso em: 24 jun. 2014.

______. Educação cidadã a distância: uma perspectiva emancipatória a partir de Paulo Freire. 2015. 211 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet (versão eletrônica). Rio de Janeiro: J. Zahar, 2013.

FREIRE, Paulo. Conscientização: teoria e prática da libertação. São Paulo: Cortez, 1979.

______. Pedagogia do oprimido. 17. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

______. Educação na cidade. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2001.

GADOTTI, Moacir. Escola Cidadã. 13. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GARCÍA ARETIO, Lorenzo; RUIZ CORBELLA, Marta. La eficacia en la educación a distancia: ¿un problema resuelto? Teoría de la educación, n. 22, p. 141-162, 2010.

HOUAISS, A. Grande Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Instituto Houaiss, 2012. Disponível em: . Acesso em: 26 fev. 2014.

KENSKI, Vani M. Tecnologias e tempo docente. Campinas, SP: Papirus, 2013.

LIMA, Lucínio C. Aprender para ganhar, conhecer para competir: sobre a subordinação da educação na “sociedade da aprendizagem”. São Paulo: Cortez, 2012. v. 41.

MACHADO, Jorge A. S. Ativismo em rede e conexões identitárias: novas perspectivas para os movimentos sociais. Sociologias, n. 18, dez. 2007. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2013.

MÉSZAROS, István. A Educação para além do capital. 2. ed.São Paulo: Boitempo, 2008.

MOORE, Michael G. Teoria da distância transacional. Tradução Wilson Azevêdo. Revista Brasileira de Aprendizagem Aberta e a Distância, São Paulo, p. 1-14, ago. 2002. Disponível em: . Acesso em: 21 jun. 2013. (Tradução de Theoretical principles of distance education,1993. p. 22-38.)

OLIVEIRA, Edilson M. de; ALMEIDA, José Luís Vieira; ARNONI, Maria Eliza B. Mediação dialética na educação escolar: teoria e prática. São Paulo: Loyola, 2007.

PATTO, Maria H. S. O ensino a distância e a falência da educação. Educação e Pesquisa, v. 39, n. 2, p. 303-318, jun. 2013. Acesso em: 26 ago. 2014.

PAULO FREIRE cidadão do mundo. Direção: Marcelo Zelic, Centro de Documentação e Informação Científica (Cedic) da PUC-SP [s.d.]. PINA, Antonio B. Entornos de aprendizaje mixto en educación superior. Revista Iberoamericana de Educación a Distancia, v. 11, n. 1, p. 15-51, 2008.

RAVENSCROFT, Andrew. Dialogue and connectivism: a new approach to understanding and promoting dialogue-rich networked learning. The International Review of Research in Open and Distance Learning, v. 12, n. 3, p. 139-160, mar. 2011. Acesso em: 11 jun. 2013.

RODRIGUES, Lúcia. Ensino a distância rebaixa a qualidade do país. Caros Amigos, São Paulo: Casa Amarela, out. 2011.

ROMÃO, José E. Educador Popular. In: Grupo de Estudos sobre Política Educacional e Trabalho Docente da Faculdade de Educação da UFMG. Trabalho, profissão e condição docente. Belo Horizonte: Gestrado/UFMG, 2010. Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2013.

SNYDERS, Georges. Para onde vão as pedagogias nãodiretivas? 3. ed. São Paulo: Centauro, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2017.1.22143

ISSN-L: 0101-465X | e-ISSN: 1981-2582


Exceto onde especificado diferentemente, aplicam-se à matéria publicada neste periódico os termos de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional, que permite o uso irrestrito, a distribuição e a reprodução em qualquer meio desde que a publicação original seja corretamente citada.