Além da torre de marfim: relatórios de opções políticas e planejamentos para negociação internacional no ensino de Análise de Política Externa

Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo


O objetivo deste artigo é propor a redução da distância entre a teoria e a prática das relações internacionais no ensino de Análise de Política Externa a partir da produção de relatórios de opções políticas e de planejamentos para a negociação internacional pelos alunos. E o argumento central revela que a realização de tais tarefas práticas permite a aproximação dos alunos à realidade dos atores envolvidos na formulação da política externa. Além de aplicarem o instrumental teórico para um entendimento mais preciso dos temas nessa subárea, os alunos vivenciam situações de barganha desenvolvidas pelas abordagens estudadas e são estimulados a desenvolver estratégias a fim de responder aos principais desafios políticos propostos. Assim, eles podem aprender novas formas de pensamento sobre as relações internacionais, potencializar a habilidade de avaliar idéias divergentes, aplicar diferentes perspectivas analíticas para questões políticas concretas e refinar a capacidade de persuasão.


Palavras-chave


Teoria. Prática. Relações internacionais. Análise de política externa.

Texto completo:

PDF

Referências


ALLISON, G. Essence of decision: explaining the Cuban missile crisis. Boston: Little, Brown, 1971.

BECK, U. O que é globalização? Equívocos do globalismo, respostas à globalização. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

COX, R. W. Gramsci, hegemony and International Relations. In: GILL, S. (Ed.) Gramsci, historical materialism and International Relations. Cambridge: Cambridge University Press, 1993, p. 49-66. http://dx.doi.org/10.1017/CBO9780511558993.003

DORSEY, E. Expanding the foreign policy discourse: transnational social movements and the globalization of citizenship. In: SKIDMORE, D.; HUDSON, V. (Eds.). The limits of state autonomy: societal groups and foreign policy formulation. Westview Press, 1993. p. 237-266.

GEORGE, A. L. Bridging the gap: theory and practice in foreign policy. Washington, D.C.: Institute of Peace Press, 1993.

HERZ, M. O crescimento da área de Relações Internacionais no Brasil. Contexto Internacional, v. 24, n. 1, p.7-40, jan./jun., 2002. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-85292002000100005

HUDSON, V. M. Foreign policy analysis: actor-specific theory and the ground of International Relations. Foreign Policy Analysis, v. 1, n.1, p. 1-21, 2005. http://dx.doi.org/10.1111/j.1743-8594.2005.00001.x

IRI. Caderno do estudante 2007.1. Rio de Janeiro: IRI/ PUC-Rio, 2007.

KATZENSTEIN, P.; KEOHANE, R.; KRASNER, S. International Organization and the study of world politics. International Organization, v. 52, n. 4, p. 645- 686, 1998.

KEOHANE, R. O. Theory of world politics: structural realism and beyond. In: KEOHANE, R. O. (Org.). Neorealism and its critics. Nova York: Columbia University Press, 1986. p. 158-203.

MILBRATH, L. W. Interest groups and foreign policy. In: ROSENAU, J. N. (Ed.) Domestic sources of foreign policy. Nova York: Free Press, 1967. p. 231-251.

PUTNAM, R. Diplomacy and domestic politics: the logic of two-level games. International Organization, v. 42, n. 3, p. 427-460, 1988. http://dx.doi.org/10.1017/S0020818300027697

ROSENAU, J. Governança, ordem e transformação na Política Mundial. In: ROSENAU, J.; CZEMPIEL, E. O. (Eds.). Governança sem governo: ordem e transformação na política mundial. Brasília: UnB, 2000. p. 11-46.

SMITH, S. International Relations and international relations: the links between theory and practice in world politics. JIRD, v. 6, n. 3, p. 233-239, 2003.

WALLACE, William Truth and power, monks and technocrats: theory and practice in International Relations. Review of International Studies, v. 22, n. 3, p. 301-321, 1996. http://dx.doi.org/10.1017/S026021050011856X




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2016.1.20931

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS