A docência e seus saberes: o valor do testemunho para o ensino

Maiane Liana Hatschbach Ourique, Eliana Regina Fritzen Pedroso

Resumo


O trabalho busca investigar como o processo formativo da docência percebe os saberes necessários à educação em um século pós-traumático. Tendo em vista a necessidade formativa de compreender de maneira crítica o valor do pertencimento ao mundo e a constituição dessa historicidade, própria do humano, o trabalho evidencia a ideia de saber com sua potência epistêmica, ética e estética. Em uma perspectiva metodológica hermenêutica e reconstrutiva, a investigação repercute a noção de que o saber tem a função de “vincular o homem ao mundo”. Por isso, ao evocar a memória e a alteridade para aproximar-se dos acontecimentos, os saberes da docência também são afetados pelos eventos catastróficos e pelas tragédias que cingiram a história da humanidade. Assim, o saber do testemunho passa a constituir uma ponte interessante para uma educação que valoriza a pluralidade a partir da conciliação entre o passado e o presente.


Palavras-chave


Docência. Saberes. Formação. Testemunho. Pós-traumático.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, Theodor W. Educação e emancipação. Tradução: Wolfgang Leo Maar. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

ADORNO, T. W. A arte é alegre? In: RAMOS-DE-OLIVEIRA, Newton; ZUIN, Antonio Alvaro Soares; PUCCI, Bruno. Teoria crítica, estética e educação. Campinas: Autores Associados, 2001. p. 11-18.

ARENDT, Hannah. Entre o passado e o futuro. Tradução: Mauro W. Barbosa. 6. ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.

AMÉRY, Jean. Além do crime e castigo: tentativas de superação. Tradução de Marijane Lisboa. Rio de Janeiro: Contraponto, 2013. BENJAMIN, Walter. Experiência e pobreza; sobre o conceito da história. In: ______. Magia e técnica, arte e política. Tradução: Sérgio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1986, p. 114-119.

BOMBASSARO, Luiz Carlos. As fronteiras da epistemologia: uma introdução ao problema da racionalidade e da historicidade do conhecimento. Petrópolis: Vozes 1992.

BOUFLEUER, José Pedro. O operar pedagógico sob o primado da comunicação: a pedagogia em perspectiva autofundante. In: Reunião Anual da Anped, 30, 2007, Caxambu. Anais... Caxambu: Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação, 2007. [1 CD-ROM].

CELAN, Paul. A arte poética: o meridiano e outros textos. Lisboa: Cotovia, 1996.

CELAN, P. Obras completas. Madrid: Editorial Trotta, 2004.

DE MARCO, Valeria. A literatura de testemunho e a violência de estado. Lua Nova, São Paulo, n. 62, p. 45-68, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ln/n62/a04n62. Acesso em: 20 fev. 2015.

FELMAN, Shoshana. Educação e crise ou as vicissitudes do ensinar. In: NESTROVSKI, Arthur; SELIGMANN-SILVA, Márcio (orgs.). Catástrofe e representação: ensaios. São Paulo: Escuta, 2000, p. 13-72.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método. Tradução: Flávio Paulo Meurer. Petrópolis: Vozes, 1997.

HABERMAS, Jürgen. A constelação pós-nacional: ensaios políticos. São Paulo: Littera Mundi, 2001.

HABERMAS, J. Verdade e justificação. São Paulo: Loyola, 2004.

HERMANN, Nadja. Autocriação e horizonte comum: ensaios sobre educação ético-estética. Ijuí: Unijuí, 2010.

HOBSBAWM, Eric. Era dos extremos: o breve século XX (1914-1921). São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

JIMENEZ, Marc. O que é estética? São Leopoldo: Ed. Unisinos, 1999.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Revista Brasileira de Educação, n. 19, p. 20-28, jan./abr. 2002.

MATTÉI, Jean-François. A barbárie interior: ensaio sobre o i-mundo moderno. Tradução: Isabel Maria Loureiro. São Paulo:

Editora Unesp, 2002.

PAGNI, Pedro G.; GELAMO, Rodrigo P. (orgs.). Experiência, educação e contemporaneidade. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

PERRENOUD, Philippe. A prática reflexiva no ofício do professor: profissionalização e razão pedagógica. Tradução: Cláudia Schilling. Porto Alegre: Artmed, 2002.

LEVI, Primo. É isto um homem? Tradução: Luigi del Re. Rio de Janeiro: Rocco, 1988.

LEVI, P. Os afogados e os sobreviventes. Tradução de Luiz Sérgio Henriques. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

LEVI, P. A trégua. Tradução: Marco Lucchesi. São Paulo, Companhia das Letras, 1997.

RAJCHMAN, Chil. Mais sobre Eu Sou o Último Judeu – Treblinka (1942-1943). Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2010.

RICOEUR, Paul. A memória, a história e o esquecimento. Tradução de Alain François. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.

SCHLOSS, Eva. Mais sobre Depois de Auschwitz – o emocionante relato de uma jovem que sobreviveu ao Holocausto. Tradução: Amanda Moura. São Paulo: Universo dos Livros, 2013.

VENEZIA, Shlomo. Sonderkommando: no inferno das câmaras de gás. Tradução: Jorge Bastos. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2016.2.19980

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS