A África nos filmes infantis: uma análise de Madagascar

Maria Carolina da Silva Caldeira

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar que representações sobre a África e os africanos são divulgadas pelos filmes infantis de animação Madagascar 1 e 2. Com inspiração na vertente pós-estruturalista dos estudos culturais em educação, considera-se que esses filmes exercem uma pedagogia cultural, a qual ensina e constrói representações desse continente. O argumento desenvolvido é o de que esses filmes, ao representarem a África, atualizam o binarismo entre natureza e cultura, associando a África à natureza e as grandes metrópoles à cultura. Nesse processo, o polo natural é considerado inferior ao polo cultural. Por meio de relações de poder desiguais, aqueles que habitam o continente africano também são considerados inferiores aos habitantes de outras regiões. Dessa forma, os filmes se inserem em um longo processo performativo que repete representações historicamente construídas sobre a África, as quais a situam como um continente exclusivamente selvagem, perigoso e habitado por seres exóticos.

Palavras-chave


África. Representação. Pedagogia cultural. Estudos culturais.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, Marise. Natureza e representação na pedagogia da publicidade. In: COSTA, Marisa Vorraber. Estudos culturais em educação. 2. ed. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

ANJOS, Roberto. A geografia, a África e os negros brasileiros. In: MUNANGA, Kabengele (Org.). Superando o racismo na escola. 2. ed. Brasília: MEC, 2005.

BALESTRIN, Patrícia; SOARES, Rosângela. “Etnografia da tela”: uma aposta metodológica. In: MEYER, Dagmar; PARAISO, Marlucy. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza, 2012.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites dis-

cursivos do sexo. In: LOURO, Guacira. O corpo educado: Pedagogias da Sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

CUNHA JR., Henrique. Os negros não se deixaram escravizar: temas para as aulas de história dos afrodescendentes. Revista Eletrônica Espaço Acadêmico, v. 69, p. 1-10, 2007. Disponível em: http://www.espacoacademico.com.br/069/69

cunhajr.htm

DUARTE, Rosália. Cinema e educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

GIROUX, Henry. Memória e pedagogia no maravilhoso mundo da Disney. In: SILVA, Tomaz Tadeu da. Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

GOMES, Nilma. A questão racial na escola: desafios colocados pela implementação da Lei 10639/2033. In: MOREIRA, Antonio Flavio; CANDAU, Vera. Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis: Vozes, 2008.

KINDEL. Eunice. A natureza no desenho animado: ensinando sobre homem, mulher, raça, etnia e outras coisas mais. 2003. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

KUNZRU, Hari. “Você é um ciborgue”: um encontro com Donna Haraway. In: HARAWA, Donna; KUNZRU, Hari; TADEU, Tomaz. Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano. Org. e trad. de Tomaz Tadeu. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

LOURO, Guacira Lopes. O cinema como pedagogia. In: LOPES, Eliana Marta Teixeira; FARIA FILHO, Luciano Mendes; VEIGA, Cynthia Greive (Org.). 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte, Autêntica, 2000.

OLIVA, Anderson. A história da África nos bancos escolares. Representações e imprecisões na literatura didática. Estudos Afro-Asiáticos, ano 25, n. 3, 2003.

OLIVA, Anderson. A história africana nas escolas brasileiras: entre o prescrito e o vivido, da legislação educacional aos olhares dos especialistas (1995-2006). História, Franca, v. 28, n. 2, 2009.

RIAL, Carmen. Estudos de mídia. In: GROSSI, Miriam (Org.). Movimentos sociais, educação e sexualidades. Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

SERRANO, Carlos; WALDMAN, Maurício. Memória d’África: a temática africana em sala de aula. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

SILVA, Tomaz Tadeu. Currículo e identidade social: territórios contestados. In: ______. (Org.). Alienígenas na sala de aula: uma introdução aos estudos culturais em educação. Petrópolis: Vozes, 1995.

SILVA, Tomaz Tadeu. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

SILVA, Tomaz Tadeu. A produção social da identidade e da diferença. In: ______. (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2009.

STEINBERG, Shirlei. Kindercultura: a construção da infância pelas grandes corporações. In: SILVA, Luiz Heron et al. Identidade social e a construção do conhecimento. Porto Alegre: Secretaria Municipal de Educação, 1997.

TEIXEIRA, Inês. Apresentação à Seção Temática: Cinema e Educação. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 41, jun. 2005.

WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, Tomaz Tadeu (Org.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2014.2.16445

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS