Planejamento e participação: os eventos nacionais na área da educação após a Constituição de 1988

Marisa Ribeiro Teixeira Duarte, Maria Rosimary Soares dos Santos

Resumo


O artigo discute a participação de atores diversos no planejamento das políticas públicas em educação com foco nas sistemáticas de organização dos encontros, congressos e conferências que congregaram educadores, militantes políticos e entidades da área de educação, suas proposições e divergências no diagnóstico da educação brasileira e na formulação de planos nacionais de educação. O estudo investiga a Semana Nacional de Educação para Todos e a Conferência Nacional de Educação para Todos, realizadas em 1993 e 1994; o I e II Congressos Nacionais de Educação realizados em 1996 e 1997; e a Conferência Nacional de Educação de 2010. Além de mudanças nas concepções de planejamento estatal, considera-se que esses eventos contribuem para a disseminação de lógicas comuns de ação, permitindo a obtenção de consensos, e, para que atores responsáveis pela implementação de políticas educacionais, em territórios socialmente desiguais e diversos, persigam de forma ativa os resultados acordados desejáveis.

Palavras-chave


Planejamento. Plano Nacional de Educação. Participação social. Lógicas de ação. Entidades da educação.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Márcia Ângela da S. Avaliação do Plano Nacional de Educação 2001-2009: questões para reflexão. Educação & Sociedade, v. 31, n. 112, p. 707-727, 2010.

BOLLMANN, Maria da Graça Nóbrega. Revendo o Plano Nacional de Educação: proposta da sociedade brasileira. Educação & Sociedade, v. 31, n. 112, p. 657-676, 2010.

BORDIGNON, Genuíno. O planejamento educacional no Brasil. Brasília: MEC, Fórum Nacional de Educação, 2011.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 5 out. 1988.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Plano Decenal de Educação para Todos. Brasília: MEC, 1993.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. O que é o Plano Decenal de Educação para Todos. Brasília: MEC/SEF, 1993a

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Portaria

n. 489 de 18 de março de 1993. In: Documenta, n. 387, p. 228, mar. 1993b.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Conferência Nacional de Educação para Todos. Anais. Brasília, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Pacto pela valorização do magistério e qualidade da educação: conferência nacional, acordo de educação para todos: compromisso com a qualidade e a profissionalização do magistério, por uma escola de cidadãos. República Federativa do Brasil, Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental, p. 16.1994a.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 23 dez. 1996.

BRASIL. Lei n. 10.172, de 9 de janeiro de 2001. Aprova o Plano Nacional de Educação (PNE). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 10 jan. 2001.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria Executiva. Documento final da CONAE. Brasília: MEC/CONAE, 27 maio 2010.

BRASIL. Projeto de Lei n. 8.035, de 20 de dezembro de 2010. Aprova o Plano Nacional de Educação para o decênio 2011-2020 e dá outras providências. Brasília, 20 dez. 2010. [Projeto de lei, encaminhado pelo Poder Executivo ao Congresso Nacional em 20 de dezembro de 2010].

COMITÊ EDITORIAL. Entrevista: A Conferência Nacional de Educação (CONAE) e o Plano Nacional de Educação (PNE). Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 112, p. 1031-1058, jul.-set. 2010.

I CONED. Relatório com as diretrizes do I CONED para o Plano Nacional de Educação. Belo Horizonte, APUBH, 1997.

II CONED. Subsídios às discussões preparatórias do II CONED. Belo Horizonte, APUBH, 1997.

II CONED. Plano Nacional de Educação: proposta da sociedade brasileira. Belo Horizonte, APUBH, 1997a.

CUNHA, Célio da. Plano Decenal: fundamentos, trajetória e alcance social. Brasília, Em Aberto, ano 13, n. 59, jul.-set. 1993.

DOURADO, Luiz Fernandes. Avaliação do Plano Nacional de Educação 2001-2009: questões estruturais e conjunturais de uma política. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 112, p. 677-705, 2010.

EDITORIAL. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 112, p. 649-653, 2010.

ENTREVISTA de Francisco das Chagas Fernandes. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 112, p. 1031-1058, 2010.

FONSECA, Marília. O Banco Mundial como referência para a justiça social no terceiro mundo: evidências do caso brasileiro. Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, USP, v. 24, n. 1, p. 37-69, jan.-jun. 1998.

FREITAG, Bárbara. “Educação para Todos” e a atuação da indústria cultural (mesa-redonda). Brasília, Rev. Bras. Est. Pedag., v. 67, n. 155, p. 171-206, jan.-abr. 1986.

FREITAS, Dirce Nei Teixeira de. Avaliação e gestão de-

mocrática na regulação da educação básica brasileira: uma relação a avaliar. Educação & Sociedade, Campinas, v. 28, n. 99, p. 501-521, 2007.

GADOTTI, Moacir. Da palavra à ação. In: MEC/INEP. Educação para Todos: avaliação da década. Brasília, 2000.

GARCIA, Walter E. O Plano Decenal que nós queremos. Em Aberto, Brasília, ano 13, n. 59, jul.-set. 1993.

GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais e educação.

ed. São Paulo: Cortez (Questões da nossa época), 1999.

GUEDES, Edna G. S. O. Políticas públicas de formação de professores: PROCAP, os passos e descompassos de uma experiência de formação continuada no município de Buritizeiro (MG). 2003. Dissertação (Mestrado Educação) – Universidade de Uberaba, Uberaba, 2003.

HORTA, José Silvério Bahia. Plano Nacional de Educação: da tecnocracia à participação democrática. In: CURY, Carlos Roberto Jamil et al. (Org.). Medo à liberdade e compromisso democrático: LDB e Plano Nacional de Educação. São Paulo: Editora do Brasil, 1997.

MACHADO, Maria Aglaê de Medeiros. O plano decenal e os compromissos de Jomtien. In: MEC/INEP. Educação para Todos: avaliação da década. Brasília, 2000.

MAINGUENEAU, Dominique. Gênese dos Discursos. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

MILITÃO, Silvio Cesar Nunes; PERBONI, Fábio; MILITÃO, Andreia Nunes. O novo PNE (2011-2020): convergências e divergências. CONGRESSO DE EDUCAÇÃO – EDUCERE, 10. Curitiba, 2011, p. 8103-8116. Anais. Disponível em: http://educere.bruc.com.br/CD2011/pdf/5866_3463.pdf Acesso em: maio 2013.

SANTOS, Lucíola Licínio. Diretrizes curriculares nacionais para o ensino fundamental de 9 anos e o Plano Nacional de Educação: abrindo a discussão. Educação & Sociedade, Campinas, v. 31, n. 112, p. 833-850, jul.-set. 2010.

SAVIANI, Demerval 2010. [Sistema de educação: Subsídios para a Conferência Nacional de Educação, 2010. Disponível em: http://conae.mec.gov.br/images/stories/pdf/conae_dermevalsaviani.pdf Acesso em: jan. 2013.

SILVA JÚNIOR, João dos Reis. Mudanças estruturais no capitalismo e a política educacional do Governo FHC: o caso do ensino médio. Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 201-233, 2002.

VALENTE, Ivan; ROMANO, Roberto. PNE: Plano Nacional de Educação ou carta de intenções? Educação & Sociedade, Campinas, v. 23, n. 80, p. 96-107, set. 2002.

VIEIRA, Sofia Lerche. Estado e política de formação de magistério. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 103, p. 53-67, mar. 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2014.2.16341

Este periódico é membro do COPE (Committee on Publication Ethics) e adere aos seus princípios. http://www.publicationethics.org


Apoio Institucional – fev./dez. 2012 referente ao Edital MCTI/CNPq/MEC/CAPES Nº. 15/2011.




Educação

e-ISSN 1981-2582
ISSN-L 0101-465X


Avaliação do Qualis CAPES - 2014 
ÁREA CAPES - Educação
CLASSIFICAÇÃO - A2

E-mail: reveduc@pucrs.br



Licença Creative Commons
Exceto onde especificado diferentemente, a matéria publicada neste periódico é licenciada sob forma de uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

 

Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras.

Disponibilidade para depósito: Azul

 

Copyright: © 2006-2019 EDIPUCRS